Arquivo da tag: Mulher contemporânea

Ah, o amor!


Sem exagero, esse lance de um ser dar certeza de que ama alguém sempre me assustou muito. Acho que até se o George Clooney aparecesse e declarasse amor eterno por mim eu ia me apavorar.

Eu mesma fico assustadora quando estou in love. Até tento disfarçar minha loucura, mas é inútil.

Afinal, o que fazer depois que você não quiser mais olhar para a cara do romântico?
_ Mudar de endereço, telefone, de emprego e excluir a conta em todas as redes sociais para a pessoa nunca mais ter notícias do objeto de desejo?
_ Dizer que ele(a) não foi bom o suficiente e por isso você quer ficar livre para encontrar outro alguém mais interessante (tudo isso enquanto ele(a) ameaça se jogar pela janela)?
_ Assumir uma falsa homossexualidade (ou heterossexualidade)?
_ Começar a traí-lo(a) com toda a vizinhança, inclusive os parentes do amado, para a pessoa tomar nojo de você e nunca mais aparecer?

Não conheço uma saída que não deixe marcas terríveis e nem um apaixonado que aja com bom senso.

By A Pessimista!
Good luck with your lover!

Anúncios

Ofereça-se


Ontem no ônibus uma mulher chamou a minha atenção. Eu estava lendo o jornal toda concentrada, mas não teve jeito. Olhei tanto que ela ficou sem graça. A merecedora da super atenção estava 'toda se querendo' para o homem com quem estava conversando. Sabe quando você percebe que a mulher está louca para liberar a perigosa? Pois é...

Primeiro achei graça. Depois senti vergonha alheia. Porém, numa primeira tentativa de me libertar do senso comum, comecei a achar aquela cena linda. Quase poética. O modo como aquela mulher de aparência humilde se expressava fez eu me sentir bem. Lembrei das mulheres de Almodóvar. Da liberdade das musas.
Afinal, quem foi que disse que a mulher tem que esconder seus desejos? Seja lá quem tenha dito, não confio nessa pessoa.
Muito ultrapassado pensar que só os homens podem explodir de tesão e demonstrar. São poucos os homens que não se assustam quando uma mulher se declara para eles. Principalmente quando ela já chega falando o que quer, sem rodeios.
Já passou esse tempo, não? Já está na hora de dar a tão merecida e real liberdade de expressão para as mulheres.

Quando eu era adolescente, por exemplo, e queria chegar e falar para um cara que estava a fim era logo censurada. Sempre vinha uma amiga me chamar de louca e começar a fazer planos mirabulantes para bolar uma abordagem menos cara de pau.
Pois eu sou a favor da cara de pau. Se está afim, a mulher tem todo o direito de chegar e se oferecer (no melhor ou no pior sentido). E que se dane se vai ser chamada de vadia ou fácil. Pelos homens ou por suas amigas.

    Sou a favor da ousadia!
    Ofereça-se!
    Mas também lembre de se dar o devido valor, please!